BEDA 16 | 5 motivos para assistir "O mínimo para viver"

16 de agosto de 2017

Você já deve ter ouvido falar sobre "To the bone" ou "O mínimo para viver", com a fofíssima Lily Collins na Netflix.


Antes de começar a dizer os motivos para não deixar de assistir, confira o trailer 

Muitas meninas passam por transtornos alimentares, principalmente na fase adolescente.
Há aquelas que começam a comer compulsivamente. Eu quando pequena, comecei a engordar de forma rápida, e nessa época minha mãe me cobrava muito, falava que eu não estava nada bonita daquele jeito, e quanto mais ela falava, mais eu comia, não porque tinha fome, mas de raiva, agia assim para provocá-la. Outras comem mas o peso na consciência e o medo de ficar gorda faz com que coloquem tudo pra fora. Vimemos esse drama por mais de ano com minha cunhada, que estava emagrecendo de uma maneira triste e nada saudável.
A personagem principal do filme, sofre com anorexia, uma doença psicológica onde a pessoa ainda que esteja magra, se vê gorda, e com o tempo, vai perdendo o apetite e ficando ainda mais magra.


SINOPSE E DETALHES
Uma jovem (Lily Collins) está lidando com um problema que afeta muitos jovens no mundo: a anorexia. Sem perspectivas de se livrar da doença e ter uma vida feliz e saudável, a moça passa os dias sem esperança. Porém, quando ela encontra um médico (Keanu Reeves) não convencional que a desafia a enfrentar sua condição e abraçar a vida, tudo pode mudar. (Fonte: Adoro cinema)


Há quem diga que o filme não faz sentido, e a crítica veio de forma negativa, mas em minha opinião ele mostra a realidade de pessoas que sofrem da doença.
O perfil rebelde, que não se importa com nada (mas na verdade se importa e muito), com algo em  comum: a falta da força para sair desse caminho que para muitos é sem volta. 
Eles até pensam que podem conseguir sozinhos, que tudo está no controle, mas no final de tudo, percebem a importância do apoio e auxílio de um profissional.


Lilly (esqueci o nome da personagem, sorry) vive em uma família toda complicada, um pai ausente, uma mãe que virou lésbica e foi morar com uma outra mulher, uma madrasta que se preocupa e uma irmã com quem pode contar. Já saiu de várias clínicas de tratamento, e não se adaptava às normas e às pessoas.
Até que após uma consulta, decide ir para essa nova clínica. 
Lá ela convive com meninas em situações parecidas, e começa a fazer amizade (surge até um romance) , mas seus conflitos internos quase leva tudo a perder.

Sem spoiller ... 

1- A atriz já passou por isso, então trouxe ainda mais vida ao personagem

2- Apesar de muitos dizerem que o filme não mostra isso, afirmo que sim! Mostra a importância do profissional de apoio, mas que a decisão de mudar é do paciente, tornando o filme ainda mais realista

3- Mostra como o apoio da família é importante (tanto no momento em que sua mãe a ajuda alimentar, como da madrasta e a irmã sempre torcendo pra que tudo ocorra bem)

4- Faz perceber que um amizade sincera e que te ponha pra cima é importante

5- Não houve um final clichê, com ela curada, ou fazendo palestras ajudando outras meninas, mostra um recomeço. Que sob novas decisões a vida segue, e você pode fazer tudo outra vez.

Já assistiu ao filme na Netflix? Qual a sua opinião?
Deixe sua resposta.

Beijinhos ♥ 






8 comentários:

  1. Esse filme está na lista para assistir a dias e ainda não tem oportunidade. Já vi o trailer e realmente é uma história que precisa ser contada! Adorei a resenha Klíssia! ♥

    Um beijo e até mais!
    • www.youtube.com/deixeapenasfluir •

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado.
      Acredito que vá gostar bastante do filme.
      Beijinhos ♥

      Excluir
  2. Klissia, eu ainda nao assisti esse filme, mas estou lendo um livro que se chama A Beleza do Amor (m. Castro), que retrata exatamente isso. O livro esta sendo maravilhoso. E da um tapa na cara da sociedade que continua a afirmar que esse problema é frescura. Vou assistir esse filme!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou procurar sobre esse livro. Assista sim, abre nossos olhos e ensina muita coisa.
      Beijinhos ♡

      Excluir
  3. Oi! Eu assisti e achei bem impactante! Como as pessoas não conseguem enxergar o tamanho do problema que o filme retrata? É um assunto sério, e várias pessoas passam por isso.
    É um tapa na cara da sociedade!

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, um tapão.
      Precisamos ser mais humanos né, compreender melhor o sofrimento do próximo.

      Excluir
  4. Comecei assistir e não terminei pois tinha algumas tarefas pra fazer, mas a história é bem tocante, principalmente por causa da menina que é rejeita pela mãe e o pai nunca esta presente, eu mesma acabei me colocando no lugar dela. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chocante mesmo, leva a gente colocar no lugar dos outros.
      Beijinhos ♥

      Excluir