BEDA 9 | Resenha : O menino do pijama listrado

9 de agosto de 2017

Olá, tudo bem do lado daí?
A sugestão do nosso BEDA hoje pelo grupo United Blogs é dobre dicas para blogueiros iniciantes e desistentes.
Não me considero a melhor pessoa pra dizer sobre, uma vez que sou iniciante e estou aprendendo diariamente com as sugestões de blogs mais experientes.
O segredo é insistir!

Então, para não deixar um post vago, trouxe uma resenha emocionante.
 " O menino do pijama listrado", esse aí da foto:


Antes de começar a dizer sobre o filme, em minha última viagem para o México, que em breve teremos post no nosso blog que está em construção de conteúdo Agente por aí , e em meio a muitos passeios turísticos, estivemos no Museo Memorias Y tolerancia, onde pudemos ver a dor e sofrimento do povo judeu em poder de Hitler retratado em imagens e artigos trazidos dos campos para o México.

Vou disponibilizar algumas fotos.
protesto contra violência

vagão que levava os judeus para os campor 
Maquete de como eram mortos os judeus
roupa usada no campo de concentração


Triste não é mesmo?
 Vamos à resenha? O filme conta sobre a mesma época.

SINOPSE E DETALHES
Alemanha, Segunda Guerra Mundial. O menino Bruno (Asa Butterfield), de 8 anos, é filho de um oficial nazista (David Tewlis) que assume um cargo importante em um campo de concentração. Sem saber realmente o que seu pai faz, ele deixa Berlim e se muda com ele e a mãe (Vera Farmiga) para uma área isolada, onde não há muito o que fazer para uma criança com a idade dele. Os problemas começam quando ele decide explorar o local e acaba conhecendo Shmuel (Jack Scanlon), um garoto de idade parecida, que vive usando um pijama listrado e está sempre do outro lado de uma cerca eletrificada. A amizade cresce entre os dois e Bruno passa, cada vez mais, a visitá-lo, tornando essa relação mais perigosa do que eles imaginam





O oficial Nazista não tem o apoio de sua mãe, que morre sem ter contato com o filho. Sua esposa ao descobrir o real sentido de estarem ali, desentende com o marido, e começa a ter conflitos no casamento.
Bruno, curioso, rompe as barreiras estabelecidas de preconceito racial,  e mostra que é possível seguir em um caminho diferente.
Embora no filme não tenha um final lindo como em filmes da Disney, aprendi uma lição fantástica.
Precisamos ter a inocência de uma criança, superar as diferenças que são vistas de um olhar maldoso quando fazemos a transição para a fase adulta.

É importante ressaltar que tudo de ruim que plantamos na vida, certa hora colheremos.

Amo spoiller, mas se gostou do filme, assista, tem disponível na netflix! Não vai se arrepender.

Fico por aqui, super beijo e até a próxima.



6 comentários:

  1. Eu assisti o filme e me emocionei muito, uma história muito linda. Essa amizade é muito inspiradora.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Linda mesmo, me peguei com cisquinhos nos olhos

      Excluir
  2. Nossa fiquei chocada com a maquete, é muito triste. Vou procurar o filme e o livro para entender melhor a história

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É triste demais, as vezes estudamos superficialmente no colégio, e poder ver vídeos, depoimentos, objetos pessoais dos judeus, me emocionei muito.

      Excluir
  3. eu vi esse filme e fiquei muito triste :c
    já visitei uma exposição sobre o campo nazista, é muito forte!

    Com amor,
    Bruna Morgan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A gente fica mesmo em choque né.
      Volte sempre ♡

      Excluir